Gregório, Rita e o futuro do trabalho


O programa de humor da HBO Brasil “Greg News” está em sua quarta temporada com apresentação do Gregório Duvivier. O programa passou um tempo fora do ar devido a quarentena mas está de volta com as gravações sendo realizadas na casa do apresentador.


A edição que foi ar semana passada denominada de “DELIVERY” abordou a temática da relação de trabalho (ausência/exploração) dos entregadores com donos dos grandes aplicativos de delivery no Brasil.


Ele aborda questões como a precarização das condições de trabalho, explicando que muitos empresários ligados aos aplicativos burlam a legislação e, por consequência prejudicam os trabalhadores.


Duvivier também menciona condições insalubres de trabalho em meio à pandemia do coronavírus, onde muitos entregadores não têm álcool gel para higienizar as mãos, e a falta do fornecimento dos meios de trabalho como capacetes e veículos, uma vez que não são fornecidos pela empresa mas sim o profissional normalmente acaba arcando com essa despesa para poder trabalhar.


Essas novas relações são reflexo da crise econômica que atravessa nosso país, desde 2013/2014, que vem elevou o patamar de desempregados a 13 milhões em 2017 e que hoje, depois de uma leve melhora, volta a sofrer devido à pandemia.


O apresentador também fala sobre cortes recorrentes nos pagamentos por parte das grandes empresas de delivery, como iFood e Rappi. Confira o vídeo abaixo.



Rita Von Hunty, persona de Guilherme Terreri Lima Pereira, 28 anos, formado em artes cênicas e letras; começou seu canal falando sobre comida vegana e aos poucos foi migrando para temas como feminismo, empoderamento e LGBTfobia. Rita também é apresentadora de um programa na TV, que empodera mulheres através de looks e maquiagem. O sucesso tem sido tão grande que a drag saiu das telas e dá cursos e palestras em todo o Brasil com temas sobre política, filosofia e sociologia. Sempre, obviamente, sobre um salto alto e com um batom bem forte. (Fonte: Carta Capital - Link)


Em Janeiro de 2019, Rita postou um vídeo também disponível na plataforma Youtube, falando sobre: Home office e "para onde estamos caminhando enquanto classe trabalhadora, e a nossa """"evolução do trabalho"""" " (E coloquei em muitas aspas como ela mesma menciona durante o vídeo).


No vídeo ela aborda não só a situação dos entregadores que não possuem vínculo empregatício, que alugam uma bicicleta que não é deles mas é uma ferramenta de trabalho necessária para muitos que não dispõem de condições de adquirir uma moto, entregando refeições de um restaurante do qual esses profissionais não trabalham, para pessoas que não os contrataram de aplicativos dos quais eles também não possuem vínculo empregatício.


Esses profissionais, em condições de subemprego que precisam se submeter a essa dinâmica de trabalho são vítimas do nosso tempo, menciona Rita. Profissionais que estão em uma espécie de limbo trabalhista, uma vez que sem vínculo a qualquer dessas partes envolvidas, não se sabe nem a quem recorrer caso venha acontecer alguma coisa a esse profissional. Seriam responsáveis por essa atividade o Itaú ou Citibank por conta do patrocínio das bicicletas, o restaurante em que a refeição foi preparada, o aplicativo - tecnologia usada para ativar os pedidos - ou o próprio cliente que iniciou a solicitação?


Durante o vídeo, Rita além desse tema, aborda outros exemplos relacionados a esfera do trabalho assim como a forma com que o tempo veio diluindo e alterando a nossa relação com o trabalho. Confira o vídeo.


Temas atuais que valem muito a pena assistir ambos os vídeos e refletir sobre para onde estamos caminhando como empregados e empregadores.


A atual pandemia causada pelo novo coronavírus trouxe para o mundo, ou pelo menos para grandes centros urbanos, um pequeno vislumbre do futuro, das tendências para o mercado de trabalho. Uma delas é o crescimento de ocupações remotas, o que pode trazer consequências positivas para funcionários, empresas e sociedade. Outra, muito mais preocupante, é o aumento da vulnerabilidade dos trabalhadores, que cada vez menos estão protegidos por vínculos formais de emprego e cada vez mais necessitam de tecnologias às quais não tem acesso para exercer suas funções.


Apenas a parcela mais privilegiada da população pode trabalhar remotamente e uma das características do profissional do futuro é a flexibilidade no trabalho, permitindo o anywhere office, ou seja, poder trabalhar de qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer dispositivo.


A comunicação e a colaboração têm que estar na veia de todos e ser digital, é uma mentalidade que deve estar presente na estratégia de toda a companhia.

Tenho confiança que vamos atravessar esse momento desafiador e que no final, estaremos mais fortalecidos e preparados para o futuro que chega em uma velocidade cada vez mais alucinante. Temos e precisamos nos antecipar e não tem como deixar para depois. O depois é agora.


Klaus Schwab disse: “estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes”.


Para complementar sua reflexão sobre o que está por vir, auxiliar no atual estado de home office e se preparar com novas competências e habilidades, eu convido a lerem os textos conforme abaixo:


Encontrando Dificuldades para se Concentrar? (Link)

Mundo Vuca (Link)

Habilidades para a nova era do trabalho (Link)


Fontes: Youtube HBO Brasil Greg News, Youtube Tempero de Drag com Rita Von Hunt, Carta Capital

Gostou desse artigo? Compartilhe com os amigos!

Aproveite e siga o instagram @raphaelaraujocoachig

para outras dicas de carreira e conteúdo motivacional.


DESTAQUES

INSTAGRAM

PARA ME SEGUIR

  • White LinkedIn Icon
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

RECENTES

CATEGORIAS

ARQUIVOS

COMPARTILHE ESTE SITE

  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon

PARA MELHOR EXPERIÊNCIA, RECOMENDAMOS A VISUALIZAÇÃO DESTE SITE NO NAVEGADOR GOOGLE CHROME.

CURTA A PÁGINA