Soul



Quando se trata da Pixar, não tivemos a chance de ver muitos filmes da perspectiva de um ser humano normal. De carros a brinquedos, de monstros a robôs, dinossauros e elfos. Se a Pixar vai fazer um filme sob a perspectiva de um humano (Joe), você sabe que eles vão se APROFUNDAR no assunto. E foi isso que eles fizeram em Soul. Sem falar que foi o primeiro longa de animação a focar em personagens negros.


Um outro ponto importante e a ser considerado é o conceito de spark. Na versão legendada do filme, os personagens falam em encontrar seu spark, que na versão em Português foi traduzido como Missão. Não estou querendo dizer que não possamos encarar spark como missão/propósito, mas precisamos entender que pode ser definido ainda como faísca, fagulha, ideia, estalo, percepção, sensação e até mesmo por propósito dependendo do contexto.


Outro detalhe é o próprio nome do filme, Soul. Soul felizmente não foi traduzido para o português, uma vez que seria bem possível o filme se tornar Alma as confusões do além ou algo do tipo...rs. Como Frozen, que no Brasil virou Frozen, uma aventura congelante.



Soul além de ser traduzido como alma, é também, Gênero musical norte-americano que teve origem no final da década de 1950, muito divulgado nas igrejas protestantes dos afro-americanos e que nasceu da junção entre o rhythm e o blues. (Fonte: Google)


No filme é possível notar algumas lições e o objetivo desse texto é justamente destacar algumas das principais.



1. É MUITO FÁCIL SE TORNAR UMA ALMA PERDIDA


De acordo com o filme, pessoas se tornaram almas perdidas por estarem presas em seus trabalhos monótonos ou obcecadas demais pela rotina que as perturba e incomoda. A primeira lição é manter o controle sobre onde estamos investindo nosso tempo e ter certeza de que não vamos deixar isso nos desconectar das outras partes de nossas vidas.


Conhecer a si mesmo como um todo e desenvolver a percepção de como andam as diversas áreas da nossa vida é de grande importância, justamente para que possamos manter o equilíbrio entre as áreas, fluindo bem com nós mesmos, nossa família, trabalho, amigos, etc.



2. SOMOS TODOS INDIVÍDUOS ANTES DE COMEÇARMOS A VIDA


Interessante como o filme tocou na questão de que todos recebem diferentes personalidades no "Seminário Você" (YOU Seminar). Cada pessoa teria personalidades totalmente diferentes umas das outras, com diferentes níveis de determinação, sensibilidade ou coragem por exemplo e que estas já estavam em andamento muito antes de nos tornarmos os indivíduos que somos hoje. Cada um de nós é único e pode desenvolver habilidades e características diferentes. Quais são as suas?



3. OS PLANOS MUDAM, MAS AS COISAS AINDA PODEM FUNCIONAR


Na cena da barbearia, Joe presume que Ten sempre quis ser barbeiro, porque esse é o seu dom. Descobrimos que Ten queria mesmo era ser veterinário. Mas depois que seu filho adoeceu, a escola de barbeiros ficou mais barata do que a escola de veterinário e seus planos mudaram. Nem sempre as coisas saem como planejado, ele se adaptou e passou a valorizar a vida que tem e ter desenvolvido um novo talento.


Kemp Powers, codiretor de história e roteirista, disse que essa era uma de suas partes favoritas do filme. “Sempre vemos filmes sobre a busca do seu sonho”, disse ele. Mas ele disse que adora o fato de que Soul mostra que todas as vidas têm seu mérito, e ele espera que isso seja transmitido.



4. APROVEITE AS COISAS PEQUENAS


A lição mais óbvia do filme é a de desacelerar e desfrutar as pequenas coisas que passam por você todos os dias. Joe aponta o mau humor das pessoas no metrô, enquanto 22 está girando e bebendo as sobras das bebidas. Ela aprecia cada pedaço de pizza e bagels nova-iorquinos, percebe a beleza de uma folha que cai, aos prazeres da habilidade de caminhar ou ouvir uma bela música. O filme nos lembra de todas as pequenas coisas pelas quais podemos ser gratos.


Em uma entrevista de imprensa do filme, Jamie Foxx disse que há uma frase que ele gosta de usar quando pensa em valorizar esta vida. “O mundo está aqui há muitos bilhões de anos. Então, 70, 80, 100 anos é o quê? É um piscar de olhos ", disse Foxx" Então, eu digo a todos, não desperdicem suas piscadas. Viva sua vida."



5. APROVEITE AS COISAS GRANDES


Quando Joe tem a performance de sua vida no palco e pergunta "e agora?" Dorothea Williams conta a ele a história de um peixe nadando até um peixe maior e pergunta onde fica o oceano. O grande peixe explica que eles estão no oceano. Mas o peixinho diz "não, isso é apenas água, eu quero o oceano!" Às vezes, não percebemos a grandeza que nos cerca, porque estamos muito empenhados em tentar chegar a um destino. Não apreciamos a alegria na jornada e a grandeza de onde já estamos.



6. SUA FAGULHA NÃO É SEU PROPÓSITO


Isso deve mexer com muitas pessoas, especialmente as que se perguntam: qual talento único em mim ou propósito, é a razão de eu estar aqui? Cada um de nós tem seus próprios talentos e habilidades que vamos descobrir ao longo da vida. Mas essa não é a nossa razão de viver. Seu propósito é viver.


Use seus talentos, dons, faça o que gosta ou descubra novas coisas pelas quais se interesse, viva a SUA melhor vida.


O diretor Pete Doctor disse que esse era um dos principais objetivos do filme. “Só por estarmos vivos, somos valorizados. Já somos o suficiente. Todos nós merecemos desfrutar o que a vida tem a oferecer. Tudo o que você precisa fazer é abrir os olhos e olhar ao redor. ”


Para quem não viu ainda, é um ótimo filme para assistir e refletir em especial sobre o ano que foi 2020, um ano que com certeza apesar de todas as dificuldades, você deve ter muito o que agradecer, se prestar atenção as coisas boas da sua vida.


E para quem já viu, o que achou do filme e quais outras lições você conseguiu perceber?


Gostou desse artigo? Compartilhe com os amigos!

Aproveite e siga o Instagram @raphael.araujo.rh

para outras dicas de carreira e conteúdo motivacional.


DESTAQUES

INSTAGRAM

PARA ME SEGUIR

  • White LinkedIn Icon
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

RECENTES

CATEGORIAS

ARQUIVOS